09 março, 2010

Os Maias: " A QUINTA PROFECIA "



O tempo maia é circular avança para frente e para trás, simultaneamente, nunca termina. É formado por círculos que sempre existiram, que continuarão a existir, eternamente.



É o respirar de Hunab-Ku, o respirar de Deus. Nós também temos esses ciclos internamente para permitir a transformação de nossa mente e a evolução de nossa civilização no sentido da harmonia. Nesse ponto veremos alguns sistemas que irão se transformar para passar do medo ao amor. E os sentidos que desenvolveremos nessa transição.

A 1ª Profecia mostra o Universo como um processo de ciclos eternos com escalas diferentes. Em nível galáctico com ciclos de 26.000 anos. Em nível pessoal, com vidas de 70 anos, que são vividas inscritas nesses círculos maiores.


A 1ª profecia anuncia o final do presente ciclo. De 1999 a 2012, cada homem estará no “Salão dos Espelhos” para encontrar em seu próprio interior sua natureza multidimensional, seu corpo de luz.

 
A quinta profecia diz que todos os sistemas baseados no medo sob os quais está fundamentada a nossa civilização se transformarão simultaneamente com o planeta e com o ser humano, dando lugar a uma nova realidade de harmonia.

O ser humano está convencido de que o universo existe só para ele, que a humanidade é única expressão de vida inteligente e por isso age como depredadora de tudo que existe.

Os sistemas falharão para que o seu humano enfrente-se a si mesmo para que ele veja a necessidade de reorganizar a sociedade e continuar no caminho da evolução que nos levará a entender a criação.

Neste momento, praticamente todas a economias do mundo estão em crise, e foi desencadeada uma onda especulativa em todas as partes.

Em apenas 1 dia, 1 trilhão de dólares muda de mãos nos mercados financeiros internacionais. 15% de queda nos mercados fazem desaparecer o equivalente a uma riqueza anula de todas as fabricas dos Estados Unidos juntas.

Desde 1995, a economia mundial não é mais dominada pelo intercambio de automóveis, aço, trigo e outros bens e artigos reais, mas pelo intercambio de dividas, ações e títulos de credito, isto que dizer, de riqueza virtual com a qual é muito fácil especular.

A síndrome do cartão de credito tornou-se um mal comum, o seu humano assume uma divida superior ao que ganha pondo sua economia pessoal na corda bamba, isso se reflete em todos nos níveis.

A especulação em torno do capital financeiro levou a uma situação econômica mais delicada que a de 1929, antes da queda da bolsa de valores em 1930.

Quase todas as economias do mundo então com problemas, especulações financeiras e os salva-vidas do governo com dinheiro de bancos que estão à beira da falência, dificultam ainda mais todo esse processo.

Existem então situações de alto risco no sistema econômico, e no sistema de controle de informações e se a isso se acrescentarmos o aumento na atividade do sol que pode causar danos irreparáveis nos satélites, a situação se complica.

Com as labaredas solares, recebemos uma dose incomum de raios ultravioleta que expande a atmosfera superior diminuindo a pressão que existe sobre os satélites que estão a baixas altitudes. Isso fará com que ele diminua a sua órbita para outra muito mais rápida e perderemos assim o contato temporal com eles – na melhor das hipóteses – e serão interrompidas todas as comunicações por satélite no planeta, também pode acontecer que os 19.000 objetos que transitam na órbita da terra ao receber a dose alta de eletromagnetismo do sol tenham seus componentes eletrônicos danificados e deixem de funcionar para sempre.

Ao afetar-se a ionosfera, pela emissão de raios solares, produzem-se alterações em todas as comunicações de radio e televisão, porque é nesta camada que são transmitidas e refletidas a diferente freqüência.

Portanto, a economia e a comunicação são sistemas frágeis e interconectados com todos os outros. A rede elétrica é especialmente sensível às labaredas solares, como ocorreu durante 9hs em todo o Kebeque em 1989.

O sistema de eletricidade é a coluna vertebral de nossas sociedades contemporâneas, se um falhar, falharão um atrás do outro como pedras de dominó derrubando consecutivamente todos os sistemas. Dizem que um sistema é tão forte quanto o mais fraco de seus componentes ou elos.

Imaginemos como reagiria a nossa sociedade a todos esses acontecimentos simultâneos. A comida ficaria escassa; as comunicações seriam impossíveis; a trafego enlouqueceria em todas as cidades, a economia ficaria paralisada; a maioria de nós perderia o juízo e teria inicio a uma desordem civil que pela quantidade de pessoas envolvidas ultrapassaria as expectativas e os controles civis e militares do governo. Essa situação de descontrole total modificaria para sempre todos os sistemas da sociedade.

Os sistemas religiosos baseados em um Deus que infunde medo também entrariam em crise. Surgiria um único caminho espiritual comum a toda a humanidade que terminará com todos os limites estabelecidos entre as diferentes formas de ver Deus.

O novo dia galáctico é anunciado por todas as religiões e cultos como uma época de luz, paz e harmonia para toda a humanidade. É claro então que tudo que não produza este resultado deve desaparecer ou transformar-se, a nova época de luz não pode ter uma humanidade baseada na economia militar de imposição de verdades pela força.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VOCÊ ACREDITA EM O.V.N.I ??

Minha foto
alegre,alto astral e apaixonado por mistérios que desafiam a lógica da ciência.